desfralde

O Desfralde

Deixar de usar fraldas e ser autossuficiente e capaz de usar a casa de banho é um processo natural e um marco de desenvolvimento que todas as crianças atingem.

Na verdade, a passagem das fraldas para o bacio acontece facilmente se a criança estiver preparada. Se não, regra geral, segue-se uma luta de poder entre ela e os pais em que ninguém sai a ganhar.

Isto significa que não precisa de treinar o seu filho a usar o bacio ou a sanita, mas, sim, de criar as condições para que ele possa aprender a fazê-lo, desenvolvendo essa competência. Daí que o seu objetivo seja tornar este processo tão fácil quanto possível. Pense nisso como uma aprendizagem que se desenrola ao longo do tempo.

Para que esta competência se desenvolva, é necessário que a criança esteja pronta a três níveis: físico (deve existir controlo muscular da bexiga e do intestino), cognitivo (sabe quando precisa fazer xixi e cocó) e emocional (está pronta para abandonar uma situação com a qual ela se sente familiarizada e confortável – fazer xixi e cocó na fralda sempre que ela sente vontade e também “abandonar” esse xixi e cocó, que os mais pequenos, literalmente, consideram fazer parte de si).

Geralmente, a capacidade emocional é a última a aparecer, a mais frágil e também a mais poderosa. Ora, se o momento for mal conduzido, pode originar a retenção de urina ou fezes, atrasar todo o processo durante meses ou mesmo anos, fazer com que as crianças se sintam envergonhadas e até provocar situações de obstipação mais ou menos graves.

A seguir ficam algumas dicas para que a passagem das fraldas para o bacio/sanita decorra de uma forma naturalmente fácil para todos.

1. Envolver a criança de forma ativa no processo o mais cedo possível
Envolve-la em todas as rotinas de cuidado pessoal (desde o banho à muda da fralda), relatando o que se está a passar: “Vou limpar-te o rabinho, podes ajudar?”. Ou, por exemplo, deitar os cocós da fralda na sanita. Os cocós da criança têm sempre um sítio certo! E qualquer dia ela vai ser capaz de os deixar lá diretamente. Observe os cocós, não descarregue logo o autoclismo. Deixe-a observar aquela coisa estranha que saiu de dentro dela. Ou, ainda, deixe-a escolher as cuequinhas que vai comprar.

2. Ler histórias
Continue o processo lendo histórias acerca desta etapa de desenvolvimento e sempre que brincar ao faz-de-conta coloque boneco a fazer o seu cocó depois de uma bela refeição.

3. Dar o exemplo
As crianças, naturalmente, gostam de imitar os adultos e os irmãos mais velhos, por isso, deixe-a ver o que todos fazem na casa de banho, para que ele comece a ganhar consciência do processo. Se possível aproveite para convidar um amiguinho que já tenha esta competência desenvolvida para brincar lé em casa. Nada é tão eficaz quanto a pressão dos pares.

4. Sem pressa
Não tenha pressa. Primeiro encoraje a criança a sentar-se no bacio vestido. Isto ajuda a construir a memória muscular para saber sentar-se no bacio e sair dele, porque nós queremos que ela se sinta confortável. Nunca force a criança a sentar-se no bacio/sanita ou ficar lá, isto só trará complicações. Em vez disso, leve para lá alguns livros e/ou brinquedos e torne este tempo divertido. Pode e deve cantar canções inspiradoras acerca do cocó. O objetivo principal é que a criança se sinta totalmente confortável e não se importe de passar ali algum tempo, afinal de contas, em algumas ocasiões, ela irá sentar e esperar, esperar…

5. Bacios por todo o lado
Se possível coloque um bacio em cada casa de banho da casa, de preferência bacios escolhidos pela criança. Há crianças que preferem o bacio porque ficam com os pés assentes no chão, outras preferem a sanita. Se a preferência for a sanita deixe a criança escolher dois redutores.

6. Observe
Fique atento aos sinais que a criança lhe dá. É frequente ficar mais calada ou quieta quando precisa de fazer xixi ou cocó, e por vezes até esconder-se por trás do sofá ou num canto para ter alguma privacidade. Todos os seres humanos gostam de alguma privacidade nestes momentos, por isso não se admire se ela procurar esconder-se ou se quiser ir sozinha à casa de banho.

7. Criar a rotina
As crianças pequenas adoram rotinas, isso fá-las sentirem-se seguras em relação aos eventos no seu mundo. Por isso, crie uma rotina para ir à casa de banho: a seguir ao pequeno-almoço, antes ou depois do almoço, à noite, o que funcionar melhor.

8. Celebrar, mas sem forçar
Festeje os seus progressos com uma canção ou até uma pequena recompensa, mas não se torne manipulador, nem force o processo.

9. Contar com os acidentes
Evite demonstrar a sua desilusão face aos acidentes e muito menos castigue ou humilhe a criança. O mais provável é que isso desencadeie um abandono da aprendizagem ou se transforme numa luta, que você terá dificuldade em ganhar.

10. Confiar, confiar, confiar.
Deixar a fralda é um processo que leva o seu tempo; não ganha nada em ser apressado. Por isso, confie que a sua criança vai aprender a desenvolver esta competência assim que estiver pronta.

11. Só depois de sentir que a criança está habituada a sentar-se no bacio/sanita com roupa é que deverá propor que se sente sem fralda. É provável que muitas das vezes quando lhe perguntar se quer ir à casa de banho ela lhe diga que não, por estar muito ocupada a fazer algo mais importante para ela como brincar. Neste caso, a princípio, convide-a ir à casa de banho ao invés de lhe perguntar se tem vontade de ir.

(adaptação do texto da Dr.ª Clementina Almeida – Psicóloga Clínica, especialista em bebés)

1. História “Posso espreitar a tua fralda?”

Assistam em família ao vídeo com o conto da história e depois explorem-na com a criança.

2. Em que fase estou?

Esta atividade divide-se em três fases. A primeira é a decoração de uma fralda com colagens, a segunda é a decoração do desenho de um bacio, com digitinta e a terceira é a decoração do desenho de umas cuecas.

1ª Fase – Decoração da fralda
Ajude a criança a decorar a fralda colando diferentes materiais. Depois cole a fralda num cartão ou cartolina e coloque num local visível.

Material:

  • Cartão/cartolina;
  • Cola;
  • Fralda da criança
  • Recortes de revista/jornais
  • Outros materiais (botões, fitas de cetim, pompons, massas);

2ª Fase – Decoração do bacio

Em conjunto, façam a tinta caseira misturando todos os ingredientes num recipiente e coloquem a tinta numa superfície plana. Deixe a criança explorar livremente, recorte a imagem do bacio, cole no cartão faça o decalque e deixe secar. Depois de seco pode acrescentar mais alguma decoração ao bacio com os materiais que quiser. Cole-o no cartão/cartolina e coloque junto da fralda.

Material:

  • Imagem do bacio;
  • Cartão/cartolina;
  • Recipiente ou copo;
  • Colher;
  • 1 chávena de farinha;
  • 1 chávena de água;
  • 1 chávena de sal;
  • Corante alimentar (várias cores);
  • Outros materiais (botões, fitas de cetim, pompons, massas, purpurina);
  • Cola;

3ª Fase – Decoração de uma cueca

Aproveitando a técnica da tinta caseira da fase anterior molhe o(s) cotonete(s) na tinta e decore a cuequinha. Pode ainda acrescentar mais alguma decoração com os materiais que quiser, colar a cueca no cartão/cartolina e colocar junto da fralda e do bacio.

Material:

  • Imagem da cueca;
  • Cartão;
  • Recipiente ou copo;
  • Colher;
  • 1 chávena de farinha;
  • 1 chávena de água;
  • 1 chávena de sal;
  • Corante alimentar (várias cores);
  • Outros materiais (botões, fitas de cetim, pompons, massas, purpurinas);
  • Cotonetes;
  • Cola;

3. Quantas estrelas vou ganhar?

Aproveitando o trabalho da 2ª fase na atividade 2, combine com a criança um símbolo que poderá ser uma estrela e de cada vez que a criança usar corretamente o bacio ou a sanita ela poderá colar esse símbolo no bacio. No final do dia fazer a avaliação das estrelas conseguidas.

Material:

  • Trabalho da 2ª fase – bacio;
  • Estrelas em papel, cartão, cartolina, papel autocolante ou massa alimentícia;
  • Outros elementos (autocolantes, pompons,…)
  • Cola
desfralde

©2020 Fundação António Aleixo por Super8

 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?