As crianças podem responder ao stresse de maneiras diferentes. Por exemplo, podem pedir mais colo; mostrarem-se mais dependentes, ansiosas, agitadas ou zangadas; Isolarem-se, fazerem xixi na cama, etc.

Responda às reacções da criança sendo compreensivo e mostrando apoio, escutando as suas preocupações e dando-lhe uma dose extra de atenção e carinho.

As crianças precisam do amor e da atenção dos adultos durante períodos difíceis. Dê-lhes mais tempo e atenção.

Lembre-se de escutar o(s) seu(s) filhos, fale com eles com carinho e tranquilize-o(s).

Se possível, crie oportunidades para a criança brincar e relaxar.

Procure manter as crianças próximas dos seus pais/familiares e evite, na medida do possível, separá-las dos seus cuidadores. Se a separação ocorrer (por exemplo, hospitalização) garanta que existe um contacto regular (por exemplo, via telefone) e mantenha a criança tranquila e segura.

Tanto quanto possível, mantenha as rotinas e os horários habituais ou ajude a criar novas rotinas no novo ambiente, incluindo momentos de aprendizagem/escola e tempo para brincar e relaxar em segurança.

Apresente factos sobre o que se passou, explique o que se passa agora e dê-lhe(s) informação clara sobre como reduzir o seu risco de infecção pelo covid-19 com palavras adaptadas à sua idade, garantindo que as compreendem.

De uma forma tranquilizadora, ofereça informação sobre o que pode acontecer (por exemplo, se um familiar e/ou a própria criança se começarem a sentir mal, terão de ir para o hospital durante algum tempo e receber ajuda dos médicos, que os vão ajudar a sentir-se melhor).

©2020 Fundação António Aleixo por Super8

 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?